MEDICINA CHINESA:
A TEORIA DOS CINCO ELEMENTOS



Os cinco elementos constituem um desdobramento do ritmo binário
Yin-Yang. São momentos intermediários entre os polos Yin e Yang. Também são conhecidos como “as cinco etapas da transformação”. Todos os processos passam por esses cinco momentos.

Base fundamental na Medicina Tradicional Chinesa, essa teoria também pode ser usada em todas as áreas do conhecimento humano, como a agricultura, a política, a sociologia, a música, etc.

Segundo a Teoria dos Cinco Elementos, todos os processos e fenômenos sofrem transformações cíclicas, que se resumem nos elementos madeira, fogo, terra, metal e água. Esses elementos são como símbolos, arquétipos, aos quais se podem relacionar todas as coisas existentes.

Os cinco elementos se relacionam em ciclos – principalmente os da Geração e da Dominância – e são de tal forma interdependentes que nenhum pode existir sem todos os outros, exatamente como Yin não existe sem Yang.


 
Ciclo da
Geração
Lei da
Dominância
 

               
No Ciclo da Geração – ou “Ciclo da Mãe e do Filho” – cada elemento gera energia para o elemento filho, o elemento mãe nutre energeticamente o elemento filho, sucessivamente, até fechar-se o ciclo. Assim, a madeira, combustível, nutre o fogo; o fogo, ao produzir as cinzas, nutre a terra; a terra, em seu interior, nutre o metal; o metal (ou rocha) dá origem às minas de água e a água nutre a madeira.
               
O Ciclo de Geração mantém uma produção infinita de energia. Para regulá-la, existe outra relação cíclica, o Ciclo da Conquista Mútua, ou a Lei da Dominância, também conhecida como a “Lei do Avô e do Neto”. Nessa relação, a madeira domina a terra; a terra domina, por meio da contenção, a água; a água apaga o fogo; o fogo derrete o metal e o metal corta a madeira.
               
Dessa forma, quando os elementos estão em equilíbrio, em relação saudável, geram energia uns para os outros, controlam essa geração e, uns em relação aos outros, mantêm a harmonia do sistema.
               
Os cinco elementos estão presentes em tudo que existe. Em nosso corpo, eles se relacionam a órgãos, a emoções, a alimentos, a sabores. O médico chinês se utiliza dessa teoria para fazer o diagnóstico e para prescrever o tratamento. Uma pessoa com hipertensão arterial, por exemplo, pode ter um diagnóstico chinês de “excesso de energia no elemento fogo”. Para a Medicina Chinesa, o elemento fogo rege o coração, o sangue e os vasos sanguíneos. No caso do diabetes, há um desequilíbrio da energia do elemento terra. Esse elemento rege o pâncreas e está relacionado ao sabor doce. Assim, o médico chinês levará em consideração as relações entre os cinco elementos na pessoa para estabelecer o diagnóstico energético e para definir o tratamento - quando usará acupuntura, massagens, ervas, alimentação.