MEDICINA CHINESA:
AS TÉCNICAS TERAPÊUTICAS



São seis as técnicas utilizadas para tratamento na Medicina Chinesa: a acupuntura, a moxabustão, as massagens, os exercícios, a alimentação e a fitoterapia.

Acupuntura

Consiste na punção de agulhas de metal nos pontos de energia. Por meio dessas punções, o médico interfere na quantidade e na qualidade da energia circulante no canal. Muitas vezes a acupuntura pode ser o único tipo de tratamento necessário para resolver um problema de saúde. Mas, frequentemente, se associam à acupuntura outras técnicas terapêuticas, sejam da Medicina Chinesa, sejam da Medicina Ocidental. Nos casos de câncer, por exemplo, as pessoas que recebem tratamento com radioterapia ou quimioterapia se beneficiam muito da acupuntura. Pois o uso das agulhas alivia substancialmente os efeitos colaterais da radiação e dos quimioterápicos, e, assim, contribui para melhorar a qualidade de vida do paciente.

Moxabustão

Consiste no uso de calor para o estímulo
dos pontos de energia. O calor é obtido por meio da queima de um preparado de ervas, denominado “moxa”. A erva básica para a sua preparação é a artemísia. As moxas podem ser feitas com artemísia pura ou conter outras ervas misturadas a ela. Técnica complementar à acupuntura, a moxabustão é muitíssimo usada.
               
Ambas as técnicas intervêm no funcionamento do corpo por meio da ação sobre os pontos de energia.

Massagens terapêuticas

A massagem é um dos recursos da Medicina Tradicional Chinesa, praticada há mais de cinco mil anos, para recuperação e conservação da saúde. Consiste em um sistema de manipulações variadas e metódicas do corpo. Essas manipulações atuam no corpo físico e no corpo energético simultaneamente. E estimulam a circulação do sangue e da linfa, dão vitalidade à pele, relaxam e fortalecem os músculos, tornam as articulações mais flexíveis e ativam funções dos órgãos internos, como a respiração e o peristaltismo. Ao trabalhar os músculos e as articulações, as massagens também promovem o livre fluxo da energia no corpo, pois músculos tensos e articulações rígidas dificultam a circulação da energia. O corpo mais relaxado permite o livre fluxo da energia e a mente pode se acalmar.
Algumas técnicas de massagem se destacam por atuarem diretamente sobre os canais e os pontos, a fim de reequilibrar a energia do corpo. Assim, a massagem é um precioso recurso para o cuidado com a saúde e também um precioso complemento para o tratamento com acupuntura.            
               
Existem a massagem para adultos, a massagem para crianças e a massagem da pessoa sobre si mesma.

Exercícios para a saúde

Os exercícios chineses para a saúde buscam desenvolver a harmonia, por meio da ação conjunta do movimento, da respiração e da concentração. São sempre praticados em silêncio. Aumentam a captação e o armazenamento da energia respiratória, a energia do ar.

Fitoterapia

Na Medicina Chinesa, a fitoterapia consiste no uso não apenas de plantas, mas também no de substâncias de origem animal e mineral. Sob as formas de chás, cápsulas, extratos, tinturas, xaropes, pomadas, emplastros e outras maneiras de preparação, essas substâncias atuam sobre o funcionamento dos órgãos internos, para restabelecer a harmonia. Na China, hoje, a fitoterapia goza de grande prestígio popular.
               
As ervas, isoladas, podem ser consumidas com os alimentos ou na forma de chá. Mas na fitoterapia chinesa o mais comum é a combinação de várias ervas. Existem formulações fitoterápicas chinesas em uso há mais de dois mil anos.

Dietética

Há todo um sistema de alimentação baseado nos princípios da Polaridade Yin-Yang e na Teoria dos Cinco Elementos. Nesse sistema, combinam-se sabores dos alimentos, temperos e métodos de cozimento e se observam os alimentos mais adequados para as várias horas do dia e para o clima, com o objetivo de se equilibrar a energia do corpo.
               
Assim, para uma pessoa com excesso de
Yang, a dieta deve ser rica em alimentos refrescantes, Yin; para uma pessoa com predominância de Yin, a dieta deve ser mais quente, Yang.
               
Os alimentos naturais contêm mais energia vital do que os alimentos industrializados. Uma espiga de milho cozida tem mais energia vital do que o milho verde enlatado.
                
Comer alimentos cultivados próximo ao lugar onde vivemos e próprios de cada estação do ano contribui para a harmonia do organismo com o meio ambiente.
               
Segundo a dietética chinesa, à noite não devemos ingerir alimentos crus, carne vermelha, leite e seus derivados, grãos, massas, nem doces; depois que o sol esfria, é melhor comermos carnes brancas, ovos, legumes e verduras cozidas, e, principalmente, raízes.